sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Existe amor?



O que é o Amor? Perguntei-me, ao levantar e abrir, as três e vinte e duas da manhã, a janela para me livrar um pouco da fumaça do cigarro que empesteava meu quarto pequeno.  Uma melodia, que vinha do prédio vizinho, que, certamente fora usada como despertador, parecia também fazer a mesma pergunta: “Quem inventou o amor?” Dei mais um trago e arremessei o cigarro na grama umedecida pelo sereno que caía silenciosamente sob a noite inquieta. Sentei na cama e peguei um livro ao acaso em minha cabeceira e quando o abri, coincidentemente,um texto que dizia que; “O amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se sente”. Claro que se sente, dói, queima, deixa marcas mais profundas que qualquer instrumento bélico. Essa parada de amor é muito complicado mesmo. Não é possível sentir uma coisa que não se sabe explicar. Acendi, então a luz mais forte, coloquei os óculos e tentei encontrar no pequeno dicionário que guardo desde o tempo do colegial o significado. O dicionário dizia que o amor é “sentimento que se tem por uma pessoa com quem se deseja alcançar a união física ou afetiva”. Vago demais. É pouco, muito pouco, o amor não pode ser somente isso. Conter-me com esta explicação seria o mesmo que acreditar que Deus é um ser que come feijão e ovo acebolado. Deus, talvez estivesse ai a explicação! Então, peguei o telefone e liguei para um amigo evangélico, um exímio conhecedor da Palavra, sabia que ele estaria voltando de alguma vigília e tal... Mas ele estava dormindo, mesmo assim, me atendeu, como sempre, carinhosamente e disse que havia um texto que falava sobre o que era o amor. Peguei a bíblia no quarto da minha mãe que sempre ficava aberta no salmo 91 e procurei pelo Apóstolo Paulo que dizia “que o amor jamais acaba. Não procura interesses. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. Dizia que o amor não se alegrava com a mentira mas se regozijava com a verdade. Já desesperado por tudo que estava acontecendo, eu abri novamente a janela e vi o céu azul estrelado e uma lua como nunca havia visto igual antes. Naquele momento de reflexão tosca quis acreditar que em algum lugar do mundo alguém também estava olhando para a Lua, procurando, ingenuamente, decifrar o enigma para a pergunta; “O que é o amor”?
Por um minuto eu poderia jurar que havia visto uma estrela-cadente rasgar o céu que teimava regar os jardins do mundo com o sereno leve e instigante. Lembrei-me de quando era criança ouvi alguém dizer que, quando se via algo como aquela estrela, poderíamos fazer um pedido, sabe qual foi o pedido que fiz?
Que Deus nunca me desse à resposta que estava procurando, pois, nós, seres humanos, temos o estranho hábito de não mais se importar com algo que julgávamos tão importante, quando sabemos o seu real significado. Voltei a dormir.

11 comentários:

Keyla disse...

Olha posso dizer que de todas as coisas que li em seu blog. essa me deixou muito entrigada,e realmente fascinada, pois essa resposta acho que todos queremos ter. O que é o amor, pois ele é sentido , vivido de tantas maneiras, as vezes é dito e se perde no tempo.
Mas estava eu pensando aqui com meus botões, uma vez que um sentimento arde dentro de você por alguem ele não pode desaparecer como fumaça,então buscamos respostas quando ele se perde de nós, mas na verdade é muito difícil falar sobre o amor, ou se algo que sentimos por outra pessoa é ou não amor, concordo com você é melhor não querer entende-lo e sim vive-lo.
a proposito já procurei no dicionario o significado. rssss

Renata disse...

Nossa você tem toda razão infelizmente somos assim mesmo quando descobrimos que o que acreditamos não tem tanto significado assim deixamos de acreditar.
Muito bom mesmo.
é isso ai

Sônia disse...

MEU GUERREIRO,tua escrita,como sempre,me envolvendo em teus pensamentos,me vejo você.Quanto a tua pergunta (que na verdade,pode ser artifício poético e não a busca por resposta!,digo-lhe que o melhor do amor é não encontrar a resposta e ir construindo no dia a dia a tua resposta sobre o amor.O amor maior,maior que o teu,o amor que envolve relações entre os seres humanos e entre toda a natureza.Sem dúvida é lindo e ficará mais lindo(para você) com a tua construção que só importa a você!Beijinhos.

Sônia disse...

Que saudades de utas histórias ? Entrarás em férias literárias também ??
Marcos, desejo a você muito sucesso, luz e discernimento.Teu brilho continuará sendo referência para muitos caminhos. Não esqueça de tua importância neste universo.
Sua sempre amiga,
Sônia Kronka

Carla Daniele disse...

Devido algumas negativas experiências, me questiono se de fato existe amor...Evidentemente, não me anulo de culpas, porém, foram todos eternamente cruéis comigo...Que este amor que você sente nunca se acabe, pois há perigo quando o ceticismo começa a nos dominar.

Sônia disse...

Você cada vez se superando !!! Bárbaro ouvi-lo !!! Poxa, a cada dia faço sempr meus pedidos e você está neles.peço para que você continue sempre se aprimorando como já faz, se construindo cada vez mais como o ser humano que marcou e maracará sempre este mundo com coisas legais em sua vida.
Parabéns !! Adorei ouvi-lo!!!
Com carinho
Beijinhos
Sônia Kronka
a amiga babona...rs

Sônia disse...

Você cada vez se superando !!! Bárbaro ouvi-lo !!! Poxa, a cada dia faço sempre meus pedidos e você está neles.Peço para que você continue sempre se aprimorando como já faz, se construindo cada vez mais como o ser humano que marcou e maracará sempre este mundo com coisas legais em sua vida.
Parabéns !! Adorei ouvi-lo!!!
Com carinho
Beijinhos
Sônia Kronka
a amiga babona...rs

Anônimo disse...

Eu prefiro ter vivido do que entendido o amor. Somente queria vivê-lo !!! Acreditar que existe? Jamais !!! Tudo isso que dizem não passam de simples palavras. Palavaras que o vento leva.Se existe,duvido que dure !!! Tudo é tão frugal !!!

tamires disse...

“Que o amor jamais acaba. Não procura interesses. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."
Viver intensamente esta emoção, aprendi com uma amiga.
Lindo texto!

Marta Quinzani disse...

Perfeito! Com conhecimento de si, dos nossos vários lados do ser, adorei sua introspeccao sober o amor.
Tem certas coisas que nos basta sentir sem definir!
Marta

Marta Quinzani disse...

Perfeito! Com conhecimento de si, dos nossos vários lados do ser, adorei sua introspeccao sober o amor.
Tem certas coisas que nos basta sentir sem definir!
Marta

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Existe amor?



O que é o Amor? Perguntei-me, ao levantar e abrir, as três e vinte e duas da manhã, a janela para me livrar um pouco da fumaça do cigarro que empesteava meu quarto pequeno.  Uma melodia, que vinha do prédio vizinho, que, certamente fora usada como despertador, parecia também fazer a mesma pergunta: “Quem inventou o amor?” Dei mais um trago e arremessei o cigarro na grama umedecida pelo sereno que caía silenciosamente sob a noite inquieta. Sentei na cama e peguei um livro ao acaso em minha cabeceira e quando o abri, coincidentemente,um texto que dizia que; “O amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se sente”. Claro que se sente, dói, queima, deixa marcas mais profundas que qualquer instrumento bélico. Essa parada de amor é muito complicado mesmo. Não é possível sentir uma coisa que não se sabe explicar. Acendi, então a luz mais forte, coloquei os óculos e tentei encontrar no pequeno dicionário que guardo desde o tempo do colegial o significado. O dicionário dizia que o amor é “sentimento que se tem por uma pessoa com quem se deseja alcançar a união física ou afetiva”. Vago demais. É pouco, muito pouco, o amor não pode ser somente isso. Conter-me com esta explicação seria o mesmo que acreditar que Deus é um ser que come feijão e ovo acebolado. Deus, talvez estivesse ai a explicação! Então, peguei o telefone e liguei para um amigo evangélico, um exímio conhecedor da Palavra, sabia que ele estaria voltando de alguma vigília e tal... Mas ele estava dormindo, mesmo assim, me atendeu, como sempre, carinhosamente e disse que havia um texto que falava sobre o que era o amor. Peguei a bíblia no quarto da minha mãe que sempre ficava aberta no salmo 91 e procurei pelo Apóstolo Paulo que dizia “que o amor jamais acaba. Não procura interesses. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. Dizia que o amor não se alegrava com a mentira mas se regozijava com a verdade. Já desesperado por tudo que estava acontecendo, eu abri novamente a janela e vi o céu azul estrelado e uma lua como nunca havia visto igual antes. Naquele momento de reflexão tosca quis acreditar que em algum lugar do mundo alguém também estava olhando para a Lua, procurando, ingenuamente, decifrar o enigma para a pergunta; “O que é o amor”?
Por um minuto eu poderia jurar que havia visto uma estrela-cadente rasgar o céu que teimava regar os jardins do mundo com o sereno leve e instigante. Lembrei-me de quando era criança ouvi alguém dizer que, quando se via algo como aquela estrela, poderíamos fazer um pedido, sabe qual foi o pedido que fiz?
Que Deus nunca me desse à resposta que estava procurando, pois, nós, seres humanos, temos o estranho hábito de não mais se importar com algo que julgávamos tão importante, quando sabemos o seu real significado. Voltei a dormir.

11 comentários:

Keyla disse...

Olha posso dizer que de todas as coisas que li em seu blog. essa me deixou muito entrigada,e realmente fascinada, pois essa resposta acho que todos queremos ter. O que é o amor, pois ele é sentido , vivido de tantas maneiras, as vezes é dito e se perde no tempo.
Mas estava eu pensando aqui com meus botões, uma vez que um sentimento arde dentro de você por alguem ele não pode desaparecer como fumaça,então buscamos respostas quando ele se perde de nós, mas na verdade é muito difícil falar sobre o amor, ou se algo que sentimos por outra pessoa é ou não amor, concordo com você é melhor não querer entende-lo e sim vive-lo.
a proposito já procurei no dicionario o significado. rssss

Renata disse...

Nossa você tem toda razão infelizmente somos assim mesmo quando descobrimos que o que acreditamos não tem tanto significado assim deixamos de acreditar.
Muito bom mesmo.
é isso ai

Sônia disse...

MEU GUERREIRO,tua escrita,como sempre,me envolvendo em teus pensamentos,me vejo você.Quanto a tua pergunta (que na verdade,pode ser artifício poético e não a busca por resposta!,digo-lhe que o melhor do amor é não encontrar a resposta e ir construindo no dia a dia a tua resposta sobre o amor.O amor maior,maior que o teu,o amor que envolve relações entre os seres humanos e entre toda a natureza.Sem dúvida é lindo e ficará mais lindo(para você) com a tua construção que só importa a você!Beijinhos.

Sônia disse...

Que saudades de utas histórias ? Entrarás em férias literárias também ??
Marcos, desejo a você muito sucesso, luz e discernimento.Teu brilho continuará sendo referência para muitos caminhos. Não esqueça de tua importância neste universo.
Sua sempre amiga,
Sônia Kronka

Carla Daniele disse...

Devido algumas negativas experiências, me questiono se de fato existe amor...Evidentemente, não me anulo de culpas, porém, foram todos eternamente cruéis comigo...Que este amor que você sente nunca se acabe, pois há perigo quando o ceticismo começa a nos dominar.

Sônia disse...

Você cada vez se superando !!! Bárbaro ouvi-lo !!! Poxa, a cada dia faço sempr meus pedidos e você está neles.peço para que você continue sempre se aprimorando como já faz, se construindo cada vez mais como o ser humano que marcou e maracará sempre este mundo com coisas legais em sua vida.
Parabéns !! Adorei ouvi-lo!!!
Com carinho
Beijinhos
Sônia Kronka
a amiga babona...rs

Sônia disse...

Você cada vez se superando !!! Bárbaro ouvi-lo !!! Poxa, a cada dia faço sempre meus pedidos e você está neles.Peço para que você continue sempre se aprimorando como já faz, se construindo cada vez mais como o ser humano que marcou e maracará sempre este mundo com coisas legais em sua vida.
Parabéns !! Adorei ouvi-lo!!!
Com carinho
Beijinhos
Sônia Kronka
a amiga babona...rs

Anônimo disse...

Eu prefiro ter vivido do que entendido o amor. Somente queria vivê-lo !!! Acreditar que existe? Jamais !!! Tudo isso que dizem não passam de simples palavras. Palavaras que o vento leva.Se existe,duvido que dure !!! Tudo é tão frugal !!!

tamires disse...

“Que o amor jamais acaba. Não procura interesses. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."
Viver intensamente esta emoção, aprendi com uma amiga.
Lindo texto!

Marta Quinzani disse...

Perfeito! Com conhecimento de si, dos nossos vários lados do ser, adorei sua introspeccao sober o amor.
Tem certas coisas que nos basta sentir sem definir!
Marta

Marta Quinzani disse...

Perfeito! Com conhecimento de si, dos nossos vários lados do ser, adorei sua introspeccao sober o amor.
Tem certas coisas que nos basta sentir sem definir!
Marta